Head Guitarra

O Artista

A Busca - Alfredo José Assumpção, o Alfredo Assumpção, ou simplesmente Lé, como é conhecido por amigos e familiares desde o nascimento, saiu do interior com uma mochila nas costas e uma ideia na cabeça. Aos dez anos de idade, durante seu curso primário, já se apresentava em palcos como protagonista atuando em peças teatrais. Com 16 anos inicia sua aventura pela música e composição. Aos 17 anos já participava de festivais da canção e tocava seu contrabaixo na sua banda de baile, a “Los Ringos”.

Veio lá da roça, Anta-RJ, para o Rio de Janeiro em maio de 1970, onde arrumou um emprego para custear seus estudos. Seu propósito era simplesmente passar em um vestibular qualquer para inscrever uma de suas músicas no Festival Universitário da Canção. Viraria artista profissional. Satisfaria o seu desejo, realizaria seu sonho, e o de seu parceiro de sempre, Antonio Peçanha, ou simplesmente Baiano, como também é conhecido desde que nasceu. Amigo de infância de bancos de colégio. Traria o parceiro para o Rio de Janeiro e, juntos, trilhariam o mundo fascinante da música. Sua arte seria reconhecida e pronto. A música se chama “Oito Horas Mais Horas Extras” e trata da vida de um operário qualquer, enfrentando todos os problemas que um cara, morador do subúrbio de uma metrópole, enfrenta para ganhar a vida honestamente. Como nada aconteceu, nem feedback recebeu do festival, Alfredo abraçou seu plano “B”, o mundo executivo corporativo, mas sem nunca deixar de lado suas vertentes para a composição e a poesia. Quase 40 anos mais tarde, enfim gravou “Oito Horas Mais Horas Extras”, em português e inglês, no seu álbum Bossa Jazz & Samba.

Depois de 46 anos de grande sucesso no mundo corporativo e empresarial, como executivo e empresário, dono de empresas, resolveu dedicar seu tempo integralmente à sua arte. Sua música e sua poesia. Seu sonho tornou-se realidade. A Busca finda agora, quando encontra seu Espaço para mostrar sua arte. O espaço está aqui no mundo virtual, onde é lido e ouvido em todo o planeta, através de plataformas digitais e redes sociais. Sua felicidade é plena. E, com seu parceiro, Antonio Peçanha, e outros parceiros que surgem aqui e ali, continua criando música boa para deliciar seus ouvintes e fãs de todas as idades. Seus álbuns e livros de poesia continuam sendo feitos.
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home